Avançar para o conteúdo

Facebook vira Meta e Zuckerberg apresenta Metaverso

Conteúdo atualizado há 10 meses

Na última semana de outubro de 2021, mais precisamente no dia 28, Mark Zuckerberg fez uma apresentação de quase uma hora e meia para anunciar mudanças em seu conglomerado de empresas. Entre as novidades, Zuckerberg apresenta o Metaverso.

O que mais chamou a atenção da mídia, foi o marca Facebook passar a ser apenas da rede social. Mudança que surge, coincidentemente, em meio a sua pior crise de reputação. Em suma, agora, Zuckerberg é CEO da Meta. Isso porque, segundo ele, o nome e a logo Facebook não são mais suficientes para “representar tudo o que estamos fazendo hoje, muito menos no futuro”. Assista aí, se você tiver um tempo sobrando.

Seja como for, diferente do burburinho a respeito da mudança de nome, é essa nova aventura do Mark que está me dando frio na espinha. E eu digo, com todas as palavras, que todos nós deveríamos ficar seriamente preocupados com isso. Explico…

O Metaverso pode engolir a sua vida

Antes de tudo, você já assistiu ao filme Wall-E? Caso não, faça isso e entenderá a razão do meu desassossego. Eu realmente estou com medo! Seja como for, duvido que as pessoas estejam preparadas emocionalmente e psicologicamente para lidar com uma realidade virtual desse nível:

“No metaverso, você será capaz de fazer quase tudo o que imaginar – ficar junto de amigos e familiares, trabalhar, aprender, jogar, comprar, criar – assim como viver experiências completamente novas que não se encaixam em como pensamos computadores ou telefones hoje. (…) Pense em quantas coisas físicas você tem hoje e que podem se tornar apenas hologramas no futuro. Sua TV, seu espaço de trabalho com vários monitores, seus jogos de tabuleiros e mais – em vez de objetos físicos construídos em fábricas haverá hologramas desenhados por criadores ao redor do mundo.”

Mark Zuckerberg

E a coisa é tão complexa que ele precisou de 80 minutos para tentar explicar tudo. Eu não sei se você está feliz com a invasão do Facebook (agora Meta) em sua vida. Posto que eles têm todas as informações possíveis a seu respeito. Agora imagine o nível que isso alcançará quando as pessoas começarem a, literalmente, viver dentro do Metaverso.

Já houveram outros projetos parecidos no passado recente, como o Second Life, Decentraland, entre outros. E não vejo destino diferente para uma sociedade cada vez mais conectada e baseada em tecnologia. Mas, a questão agora é que essa insanidade terá um investimento bem gordo. Nada mais que 10 bilhões de dólares! Ou seja, não tem como não dar errado!

facebook-vira-meta-e-zuckerberg-apresenta-metaverso
Foto: Facebook/Meta/Reprodução

Mas, por quê insanidade?

Como comentei mais acima, não acredito que as pessoas tenham saúde mental para lidar com isso. Uma vez que existem problemas sérios já rolando, como o impacto negativo do Instagram na saúde de jovens e o escândalo do uso indevido de dados pessoais para proliferação de fake news, só para citar dois.

Ou seja, todos estão prestes a compartilhar muito mais dados pessoais e a se afundar em uma realidade virtual que promete ser cativante e divertida. Nesse sentido, pergunto: quem vai querer viver a vida real, se dentro do Metaverso você poderá ser mais bonito, mais rico, ter mais amigos e sabe-se lá o que mais?

Eu poderia ir muito mais a fundo aqui. Trazendo discussões bem pesadas, como a possibilidade da propagação de crimes virtuais dentro do Metaverso. Assim como aconteceu dentro do Second Life, com danos sérios a inúmeros usuários. Você acha que o Mark está preocupado com questões de segurança? A história recente do Facebook prova que não.

Ou ainda, citando novamente o filme Wall-E, é provável que estamos caminhando para uma vida 100% conectada, sem experiência real. Ou, levantar a possibilidade de perdermos de vez nossa habilidade de socializar, nos comunicar e por aí vai.

Entenda melhor

Enfim, mesmo correndo o risco de parecer pessimista, me senti na obrigação de tocar nesse assunto. Já que as mídias tradicionais estão mais interessadas na mudança de nome da empresa do que no Metaverso. Eu até gravei um vídeo sobre isso!

Sendo assim, se tiver interesse, assista abaixo, faça sua inscrição em meu canal no YouTube e me diga: qual a sua opinião sobre o Metaverso? Vou adorar ler suas ideias no espaço de comentários desse post.

REFERÊNCIAS

GOSTOU DO POST? (deixe sua dúvida ou sugestão)

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *